Forjando os Reinos – O Sumido Lavandril

por Ed Greenwood
traduzido por Ricardo Costa e Daniel Bartolomei Vieira
disponível em: http://dnd.wizards.com/articles/features/lost-lavandril
Imagem de Destaque, “Ranger Attacks”, por Jesper Ejsing


Águas ProfundasWaterdeep é uma cidade fervilhante, cosmopolita e viva, construída em meio ao comércio que chega e parte de seu porto. Onde os mercadores dominam, o conhecimento, particularmente o “conhecimento interno” é poder. Fofocas correm rápido e vão longe, e existe sempre notícias, montes delas. Com o passar dos anos, meus jogadores aprenderam a manter as orelhas atentas para partes interessantes neste fluxo incessante, porque o Mestre deles usa o que apelidei de “estalos de momento” (voltando para os meus contos do início dos Reinos, alguns anos antes do D&D existir) não somente como uma maneira de fazer o cenário parecer vivo ao redor deles, nem para colocar ganchos de aventuras diante dos narizes dos aventureiros até eles morderem (como fazemos com peixes famintos)… mas também para sinalizar tendências e eventos vindouros dos quais eles podem se beneficiar.

Assim, eles devem fazer o que empreendedores da vida real às vezes fazem ao gerenciar: olham para o alto, além dos pequenos problemas do dia a dia, e vêem o que há de interessante e que está óbvio e bem em sua frente. Essas pessoas ocasionalmente ponderam não apenas que objetivos devem ser colocados adiante, mas que Reinos em torno deles está se movendo naquela direção. Então, se tiverem sucesso em antecipar uma tendência, podem se posicionar no lugar certo e na hora certa, como os comerciantes do mundo financeiro real dizem, “fazendo uma matança!” ( meus jogadores usam esta frase também, mas quase sempre significa morte e sangue literalmente, não ganhar moedas).

Com o passar dos anos, um punhado de personagens se aposentaram ricos, e mesmo se tornaram investidores benevolentes e até mesmo banqueiros, usando novas e formidáveis fortalezas que construíram para armazenar valores, incluindo itens incriminadores, não apenas riquezas para aventureiros. Eles ganharam sua fortuna conseguindo grande quantidade de algo vital para determinado lugar, ou apostando nos personagens não-jogadores inventores certos.

Ambas as coisas são realizações raras e é um tanto chato de se escrever sobre elas, porque vem com o custo de se deixar a aventura para trás (ou se tentando deixar, sendo os Reinos o tipo de lugar que são).

Ao invés disso, vamos dar uma olhada sobre que tipo de de mistério um Mestre pode usar para direcionar aos jogadores a mensagem de que olhar para as consequências futuras ou para explanações sobre probabilidades pode ser um hábito desejável, ou mesmo lucrativo, a ser adotado.

Algo em desdobramento agora mesmo em Águas ProfundasWaterdeep, é o assunto do “Sumido Lavandril”. A história é atraente, e mesmo tentadora ao se ouvir, mas é claro que não é o que inicialmente aparenta ser.

Consideremos Lavandril Talmost, um impertinente e libertino jovem da nobreza de Águas ProfundasWaterdeep que adquiriu uma breve notoriedade pública (devido ao pipocar do que algumas de minhas jogadoras preferem se referir a fofocas maliciosas) graças ao número de dormitórios nobres que visitou em rápida sucessão.

Após meses neste comportamento, notícias se espalharam de que Lavandril subitamente havia desaparecido. É claro, as vozes nas ruas atribuíram seu desaparecimento devido a ter sido pego por algum um marido furioso.

Conclusão lógica, fim da história… mas espere! Tem mais! Agora, todos os maridos (supostamente) traídos começaram a desaparecer, um por um.

Humm. Isso é estranho! O que está acontecendo?

Os desaparecimentos continuam, e é aí que o mistério atraente se torna uma consternação crescente. Onde isto irá parar?

Nobres nervosos trancam seus portões, se cercam de guarda-costas, ou partem apressados de suas propriedades e aqueles que não tem portões suficientemente fortes ou guarda costas, ou tem razões para estarem na cidade (por exemplo, possuírem propriedades sem defesas apropriadas), rapidamente irão contratar aventureiros como os personagens dos jogadores como protetores.

Eles temem serem os próximos a sumir, obviamente… mas nenhum ataque acontece.

Em vez disso, chegam cortesões do Palácio, com convites do Lorde Declarado para um encontro provado. Alguns nobres acham que é uma armadilha e se recusam a ir, até que finalmente o Lorde Declarado vai vê-los. Outros, relutantes, respondem à convocação, mas trazem com consigo seus aventureiros contratados como uma escolta pesada, e insistem em ser guardados pessoalmente durante o encontro.

De qualquer forma, qualquer aventureiro personagem do jogador, ou se eles não estiverem diretamente envolvidos, qualquer outro personagem dos jogadores pode ouvir o final de uma fofoca sussurrada vinda de um aventureiro e descobrir mais sobre o desaparecimento de Lavandril.

Parece que o jovem e arrojado Lavandril não era um “homem de nenhuma mulher” afinal, e não existe uma sucessão de viúvas nobres esperando por ele nos seus dormitórios. Ao invés disso, ele teria sido enviado à vários nobres que ele teria traído, por uma misteriosa cabala da qual o Palácio gostaria muito de saber. Este grupo pode ser o Punho de EstrelasFist os Stars , a Mão NoturnaNight Hand ou a Flamula da LanternaLantern Banner, ou chame como você preferir. Estes grupos podem ser cabalas que florescem atualmente, semi secretas, mas das quais cada vez mais se ouve falar na Cidade dos Esplendores. O que são eles e o que estão tramando? Estes são assuntos para os Mestres decidirem individualmente.

Nesse momento, o Lorde Declarado não está certo se os nobres desaparecidos são membros da cabala, se estão em conluio com a cabala, ou se são vítimas… e ele está procurando poucos e bons aventureiros (que não sejam já conhecidos na cidade para agirem como seus agentes infiltrados) para descobrir.

De uma maneira ou de outra, os personagens serão contratados para descobrirem o que puderem.

Quase imediatamente, eles descobrirão que Lavandril era inescrupuloso e um tipo de brilhante ator natural, o que no nosso mundo real frequentemente se descreve como um “vigarista”. Além disso, por mais que ele tenha desejado saltar sobre várias camas em tantos quartos, não sozinho, ele é inteiramente cauteloso ao procurar mulheres nobres mais velhas e casadas que tenham maridos poderosos e ricos que, inevitavelmente, se tornarão inimigos poderosos e ricos.

Entretanto, ainda que os boatos maldosos já tenham começado, os personagens descobrem que de fato Lavandril visitou uma mansão nobre atrás de mansão nobre (“vilas” é um termo ultrapassado em Águas ProfundasWaterdeep nos dias de hoje) sucessivamente, sim, e as casas que ele visitou agora carecem de patriarcas, ou matriarcas, ou ambos.

Servos de qualquer uma dessas grandes casas revelarão – se os personagens os questionarem habilmente ao adotar uma linha de questionamentos que seguem o percurso de uma noção preconcebida – dois tópicos em comum: seus mestres desaparecidos recentemente mostraram sinais de estarem pobres em moedas, e menções sussurradas sobre uma das cabalas foram ouvidas sem querer.

A maioria dos jogadores sendo o que são, os personagens logo avançarão sobre os becos e tavernas da Cidade dos Esplendores para tentar obter informações sobre essa cabala em particular.

Águas ProfundasWaterdeep sendo o que é, tais investigações logo levam à emboscadas e a outros ataques contra os aventureiros por parte de valentões (de bêbados e marinheiros desempregados até outros aventureiros) contratados pela dita cabala para espantar os interrogadores ou fazer eles fracassarem nisso, silenciando-os para sempre.

Isso é algo que provavelmente levará os personagens sobreviventes a atividades mais vigorosas de questionamento anti-cabala. Momento este que a aventura fica animada ao redor da mesa de jogo e personagens começam a avaliar se valeu a pena terem descoberto mais sobre a cabala.

Eles podem fazer isso de alguma forma descobrindo e falando com um nobre escondido; um lorde que foi contatado por Lavandril, recusou a oferta que o jovem Talmost fez a ele e, algumas noites depois, quase foi morto em um aparente acidente ou infortúnio. Isso poderia ter acontecido na noite seguinte por uma óbvia e quase bem-sucedida tentativa de assassinato na qual o nobre foi astuto o suficiente para imediatamente desaparecer.

Eventualmente, os personagens devem juntar informação suficiente para ir além desses fatos básicos: Lavandril Talmost não é um libertino que vai de cama em cama, ele estava fazendo ofertas a nobres desesperados em nome de uma cabala de mercadores e magos. A cabala quer assumir o poder em Águas ProfundasWaterdeep através de um golpe, mas está bem ciente de que para manter a cidade depois de tê-la conquistado, precisarão do apoio de um número substancial de nobres. O Lorde Declarado, a burocracia do Palácio e os Lordes Mascarados têm suas falhas e detratores resmungões, mas são o que a cidade tem usado há séculos, e eles não poderão ser facilmente substituídos.

Portanto, a cabala identificou nobres em dificuldades financeiras que não sorriem para e não são amados mais pelo Lorde Declarado ou pelos cortesões do Palácio, e pediram seu apoio. Aqueles que ofereceram tal apoio agora estão sendo reunidos na clandestinidade para que saiam ilesos do golpe para o qual a cidade, involuntariamente, está correndo para encontrar. A isca para esses nobres é que a cabala prometeu que suas dívidas serão inteiramente pagas (e aqueles nobres que rejeitaram a oferta estão sendo silenciados, um a um, para evitar que a palavra da tentativa de golpe chegue ao Palácio e ao Lorde Declarado e aos Mascarados).

Tudo isso pode facilmente ser um pano de fundo animado que ocasionalmente fere e frustra os personagens mais interessados em suas próprias explorações de masmorras, investimentos suspeitos e “honestos trabalhos diários”, mas ao mesmo tempo aumenta as apostas e a excitação de tudo que os personagens fazem.

Afinal, Águas ProfundasWaterdeep pode facilmente ignorar os aventureiros envolvidos em suas incursões na SubmontanhaUndermountain ou nas regiões selvagens ocupadas por animais, e ainda mais facilmente dispensar ou ignorar os aventureiros que se gabam de façanhas heroicas sobre tumbas nas tavernas ao sul do MercadoMarket ou Castelo de Águas ProfundasCastle Waterdeep.

Mas personagens sendo caçados por agentes de uma cabala sombria, ou pelos guarda-costas de meia dúzia de nobres desaparecidos, ou por estar trabalho abertamente trabalhando para o Lorde Declarado ou recebendo ordens de Lordes Mascarados, são muito propensos a serem eles mesmos a peça central desses incidentes ao correrem de uma ponta a outra da cidade (e tornando-se cada vez mais suspeitos, obviamente).

Como uma das minhas jogadoras disse, interpretando um personagem, “Eu preferiria ter três metros de altura, deixar um rastro de corpos no meu caminho e sobreviver a uma maldição enviada pelos Nove Infernos enquanto luto com dragões antes mesmo de sair da cama de manhã e calçar minhas botas!”.

Se o personagem dela vai gostar confrontar os desagradáveis magos da cabala é algo que veremos. Em breve.


Sobre o Autor

Ed Greenwood é o homem que lançou o cenário de Forgotten Realms, os Reinos Esquecidos, em um mundo vivo. Ele trabalha em bibliotecas, e ele escreve histórias sobre fantasia, ciência, ficção, terror, mistério e romance (algumas vezes tudo isso em um mesmo livro), mas ele fica feliz quando produz Conhecimento dos Reinos, Conhecimento dos Reinos e mais Conhecimento dos Reinos. Ele ainda possui umas salas em sua casa que têm espaço para guardar mais algumas pilhas de papel.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: