Shadowdale (aventura)

Aventura - Shadowdale (capa)
Capa da aventura Shadowdale

Produto: Shadowdale – TSR9247 (FRE1)
Autores: Ed Greenwood
Arte de Capa: Jeff Easley
Arte Interna: Ned Dameron
Editora: TSR, Inc.
Tipo: Aventura
Ano nos Reinos: 1.358 CV
Lançamento: Maio de 1989
Páginas: 52 (brochura)
Série: Série FRE
Seguida por: Tantras

Shadowdale (ou Vale das Sombras) é a primeira aventura da série Avatar, baseada na trilogia de romances homônimo, no cenários de Forgotten Realms.

A trama de Shadowdale, os deuses vagam pelos Reinos, e o grupo de aventureiros é pego no meio do caos que se sucede e devem viajar até o Vale das SombrasShadowdale para se consultarem com o velho sábio Elminster para tentarem solucionar o problema.

Eventos de Origem. As aventuras da série Avatar foram concebidas como “produtos de ligação” que fariam a transposição da 1ª edição de AD&D para a 2ª. Isso era exibido claramente nas capas com os dizeres “Compatível os Sistemas de Jogo de AD&D e AD&D 2ª Edição”. Também, os eventos da série Avatar ajudaram a explicar as diferenças entre a forma de narrativa entre as duas edições.

Avatar também foi imaginado com um projeto multi-plataforma, configurando tanto três romances quanto três aventuras diretamente conectadas. Posteriormente também foi lançada uma história em quadrinhos da série.

Infelizmente, os romances e aventuras foram escritos simultaneamente à finalização das regras da 2ª edição, então o resultado acabou não sendo perfeito, com algumas falhas na regras das aventuras.

Introduzindo as Aventuras da Série FRE. A primeira das aventuras da série Avatar, Shadowdale, está diretamente relacionada com o primeiro romance da trilogia Avatar, escrita por Scott Ciencin, Shadowdale (de 1989). Infelizmente, o romance ainda estava sendo escrito enquanto Ed Greenwood já estava trabalhando na aventura. Inclusive, o limite para entrega da aventura era para antes do término do romance.

Tendo apenas um esboço do romance em mãos, Greenwood escreveu tanto conhecimento dos Reinos quanto pode, na forma de encontros chave e ganchos de aventura relacionados aos locais que apareceriam no romance. Ele então descobriu que precisaria reescrever várias coisas, com todo o conhecimento sendo restrito ao que era necessário para a história

Metáforas de Aventura. Na sua versão final, Shadowdale possuía uma história baseada pesadamente em um romance, da mesma maneira que aquelas que apareceram nas aventuras de Tracy Hickman no início dos anos 80, tais como Ravenloft (de 1983) e das aventuras Dragonlance Chronicles. A aventura se focava nos eventos e encontros que atraíam os jogadores para a trama dos romances da trilogia Avatar. Embora esse tipo de aventura fosse relativamente alheia ao D&D na época, se tornou o tipo padrão de narrativa de aventura durante a era da 2ª edição de AD&D (de 1989 a 2000).

A Conexão com o Romance. Os desenvolvedores da série Avatar queriam que os jogadores tivessem liberdade, diferente de outras aventuras baseadas em romances. Para isso, eles decidiram não transformar todos os protagonistas do romance em PdMs. Em vez disso, apenas um deles era necessário para acompanhar os personagens.

O resultado ainda continuava de alguma forma pré-determinado, mas não era necessário que os jogadores assumissem papéis específicos, o que lhes dava mais liberdade de decisão em suas ações.

Expandindo os Reinos. Já não era nenhuma novidade que as Terras dos ValesDalelands eram um dos centros de aventura dos Reinos, mas a região ainda não havia recebido muita atenção até 1989. Isso já havia começado a mudar com o lançamento de Curse of the Azure Bonds (de 1989), então veio Shadowdale. Um ano depois, Forgotten Realms Adventures (de 1990) ajudaria a incluir mais informações sobre esta região. Entretanto, seria apenas com a publicação de The Dalelands (de 1993) que o local seria um centro de aventuras.

Shadowdale também apresenta brevemente a cidade de Arabel, em Cormyr. Entretanto, sua maior contribuição aos Reinos certamente veio com o próprio evento Avatar. Os deuses foram jogados dos céus, alguns caíram e outros se ergueram, e até mesmo a própria magia mudou. O resultado não foi somente uma nova versão dos Reinos, mas uma versão dos Reinos onde a TSR estava disposta a usar uma mega trama para avançar o enredo do cenário – algo que já havia sido de certa forma em outros cenários da editora, e que seria aplicado em outros tantos.

História Futura. O evento Avatar continuaria na aventura Tantras (de 1989) e Waterdeep (também de 1989). Este seria o primeiro de muitos eventos que alterariam os Reinos profundamente, com o próximo sendo o evento Empires (de 1990).

Uma década depois, a Wizards of the Coast revisitaria a ideia de usar aventuras como pontes entre edições, assim como aconteceu com Die Vecna Die!, Dungeons of Death e The Apocalypse Stone (ambas de 2000), todas utilizadas para encerrar as campanhas da 2ª edição. Notavelmente, a Wizards of the Coast não repetiu a ideia para a transição para a 4ª edição, o que foi um dos grandes problemas de lançamento desta edição. Mais recentemente, o D&D Next foi lançado tendo como base o The Sundering (de 2013 a 2014), um evento de transição entre edições que foi vagamente estruturado.

Informações na contracapa do produto:

Os Deuses andam nos Reinos.

Jogados de seus domínios celestiais, os deuses dos Reinos Esquecidos vagam pelas terras como mortais – mortais extremamente poderosos, certamente, mas nada menos do que mortais. Eles procuram pelas Tábuas do DestinoTablets of Fate, a chave para seu retorno. Mas assim que deuses bons e maus dos Reinos trazem sua briga para a terra, as pessoas e os reinos são pegos no meio dessa batalha. A própria natureza se rebela; criaturas estranhas predam no campo, e até mesmo a magia torna-se imprevisível.

Quando um grupo de aventureiros são contratados por uma jovem aprendiz para resgatar sua mentora feiticeira, eles pouco percebem o tamanho da aposta que estarão fazendo. Pegos por uma disputa de poder que determinará o destino dos próprios Reinos, o primeiro passo é encontrar o único mortal que pode saber o que está acontecendo – o lendário sábio Elminster. E isso significa ir até o Vale das SombrasShadowdale.

Shadowdale é a primeira de uma série em três partes para o jogo de RPG Advanced Dungeons & Dragons 2ª Edição. situados no popular mundo de jogo de Forgotten Realms, este módulo possui as mesmas características e mesmos personagens do primeiro romance da Avatar Trilogy, Shadowdale, escrito por Scott Ciencin. Esta aventura para AD&D 2ª Edição é ideal para seis personagens de níveis 5 a 8.


Fontes

Forgotten Realms Wiki. http://forgottenrealms.wikia.com/wiki/Shadowdale_(adventure). (12/03/2018).
RPG.net. https://index.rpg.net/display-entry.phtml?mainid=2457. (12/03/2018).
DM’s Guild. http://www.dmsguild.com/product/16811/FRE1-Shadowdale-1e-2e?term=shadow&test_epoch=0&it=1. (09/03/2018).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s