Locais em Chult, Parte 2

por Augusto Ballalai e Daniel Bartolomei Vieira
Imagem de Destaque, “The Jungle of Chult”, arte por Daarken

Ataaz Kahakla


O desfiladeiro fluvial chamado Ataaz Kahakla (“Garganta da Morte”Gorge of Death), localizado no Rio Tath, a leste da Baía JahakaJahaka Bay, possui alturas que variam de 15 a 60 m de altura e está repleto de fileiras de corais mortos, de cores variadas. O cenário é de tirar o fôlego e parece uma paisagem submarina. Entre os corais é possível ver esqueletos intactos de pleiossauros, tubarões gigantes e outras criaturas marinhas.

Ataaz Muhahah


Ao sul de Mezro há um abismo no vale do Rio Olung chamado de Ataaz Muhahah (“Garganta Gargalhante”Laughing Gorge) que é atravessada por uma ponte de pedra chamada Ponte do MacacoMonkey Bridge. A ponte recebeu este nome porque muitos macacos se penduram por suas caudas preênseis entre seus arcos de sustentação, além da própria ponte ter sido entalhada com representações de macacos, hoje quase apagadas pelo tempo. Existem também muitos entalhes ilustrando diversos tipos de labirintos, largamente associados à adoração a Ubtao.

Os macacos que se penduram ali constantemente gritam e murmuram, e os ecos de seus sons são ampliados pelo desfiladeiro, transformando tudo em uma cacofonia que se assemelha a gargalhadas altas e debochadas. Irônico é o fato de que, por vezes, as gargalhadas são tão altas que os próprios macacos se assustam, permanecendo quietos durante algum tempo até que os ecos diminuam.

Ataaz Yklwazi


Pouco ao norte do Vale da Honra PerdidaValley of the Lost Honor há um desfiladeiro vulcânico cuja base é repleta de rochas de basalto negro afiadíssimas. Ataaz Yklwazi (“Garganta das Lâminas”Gorge of Blades), como é chamado, forma a entrada norte do Vale, e é dominado por salamandras de fogo. Elas protegem o desfiladeiro emboscando qualquer um que ouse atravessá-lo.

Não bastasse os perigos representados pelas rochas basálticas negras afiadíssimas e pela infestação de salamandras de fogo, o desfiladeiro também é a área de caça predileta da dragão vermelho chamada Tzindelor, apelidada de FlamaTinder por seus seguidores kobolds e por aqueles que conseguiram vê-la e sobreviver. A presença dela é notada pela enorme quantidade de esqueletos variados torrados até parecerem carvão.

Bacia AldaniAldani Basin


Esta bacia pantanosa se forma onde os rios Soshenstar e Tath se encontram. O local é uma área de alimentação para dinossauros e enxames de insetos. O local é cercado por planaltos e folhagem densa.

Em um passado distante, o local era conhecido como Pântano das MágoasSwamp of Sorrows, mas depois foi renomeada devido ao povo lagosta, os Aldani, que habitavam ali. Entretanto, nenhum deles têm sido visto nestas águas por algum tempo. Muitos acreditam que eles pereceram. A verdade é que o povo lagosto tem se abrigado nas lagoas mais escondidas da bacia, onde têm se mantido escondidos por um século.

A partir da bacia, em dias claros e sem nuvens, é possível ver à distância o Coração de UbtaoHeart of Ubtao, que fica a cerca de 80 km a leste dali.

Baía da TartarugaSnapping Turtle Bay


Embora o céu no local fique constantemente negro por nuvens cheias de raios e pela fumaça e cinza expelidas por vulcões próximos, suas praias de areias brancas, floresta exuberante, brilhantes recifes de corais e a fauna colorida fazem da baía um local de beleza incomparável, contrastante com os horrores de Chult.

Ainda assim, seu litoral não é livre de perigos. Todo o tipo de plantas carnívoras existe na costa e agressivas e gigantescas tartarugas marinhas vivem em suas águas (daí o nome do local). Ciclopes também habitam as cavernas das montanhas que dão vista para a baía, e embora não sejam hostis por natureza, eles desconfiam de estrangeiros e os evitam. Alguns raros ciclopes podem se interessar por estranhos e, sob a oferta de itens de metal ou qualquer quinquilharia mágica, podem ser convencidos a servir de guia em expedições um pouco mais para o norte, como os Picos de ChamasPeaks of Flame ou o Vale da AtrocidadeValley of Dread.


Referências

PERKINS, C.; DOYLE, W.; WINTER, S. Tomb of Annihilation. Wizards of the Coast, 2017.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s