Grande Cronologia dos Reinos – Parte 1

Por Daniel Bartolomei Vieira
Imagem de Topo, “Drizzt e Gwenhyvar”, por Todd Lockwood

Dias de TrovãoDays of Thunder
-35.000 CV até -30.000 CV

Merrouroboros cerca -35000 CV
Merrouroboros, cerca de -35.000 CV

Os primeiros dias da história registrada começam no final de uma grande Era GlacialIce Age, há cerca de 37.000 anos, quando as últimas glaciações terminaram, em grande parte, e o grande oceano recuou para revelar a terra seca. Neste tempo antigo antes d’A SeparaçãoThe Sundering, as terras que um dia seriam identificadas como Faerûn, Kara-Tur, Maztica, e Zakhara foram, cada uma delas, uma parte de um super continente muito maior chamado Merrouroboros.

Embora a vida se espalhasse rapidamente, nenhuma da dúzia ou mais das raças comuns que povoam o mundo hoje, existiam nesta era distante. Merrouroboros não conhecia nenhum dos povos civilizados – Elfos, Anões, Halflings ou Gnomos. Nem os povos selvagens – Goblins, Orcs, Ogros e seus parentes – habitavam a terra. Embora os Humanos existissem durante este tempo, eles eram primitivos e simiescos, usando somente ferramentas simples e vivendo nas cavernas. Répteis não inteligentes, conhecidos como TrovejantesThunderers, governavam a terra, o mar e o céu. No final do primeiro milênio após a Era GlacialIce Age, bandos primitivos de homens lagarto caçadores-coletores vivam ao longo das águas férteis do Água DouradaGoldenwater, onde hoje fica Durpar, caçando gamos, peixes e forrageando plantas silvestres de todos os tipos. Ao contrário dos TrovejantesThunderers, os sauroides possuíam intelecto superior e sentido tático. Com o tempo eles se tornaram conhecidos como Sarrukh, os primeiros das poderosas raças criadoras, também conhecidas como Iqua-Tel’Quessir.

Acontecimento Referente: a Faerûn

Cerca de -35.000 CV

Ascensão dos Impérios Sarrukh (raça criadora sauroide)

A introdução de bovinos, ovinos e caprinos revoluciona a agricultura na região de Durpar. Os pastores são seminômades, conduzindo seus animais entre pastos sazonais. Ao redor de -35.000 CV, a desertificação de Durpar começa, talvez, em parte por causa do sobrepastoreio. Os pastores respondem à desertificação migrando para o noroeste do Água DouradaGoldenwater até uma região de savana semiárida que eles chamam de Okoth.

Em Okoth, ao sul de onde hoje fica Mulhorand, os Sarrukh fundam seus primeiros assentamentos permanentes. As primeoras aldeias Sarrukh são dominadas por complexos de templos dedicados à adoração da Serpente do MundoWorld Serpent. A maioria dos assentamentos Sarrukh deste período possuíam uma população entre duas e oito mil pessoas, embora a própria Daar Mundigak, a maior cidade de Okoth, possuísse mais de 10.000 habitantes.Dentro um século, a maioria de Faerûn é deles.

Acontecimento Referente: a Faerûn

Cerca de -34.800 CV

Os Sarrukh estabelecem o reino de Mhairshaulk, na Península de ChultChultan Peninsula a oeste de Lhairghal até as Selvas de ChultJungles of Chult. Acredita-se que os Mhairshaulkanos tenham criado Nagas, Homens-Pterodontes, Trogloditas e Yuan-ti, bem como inúmeras outras raças há muito tempo perdidas.

Acontecimento Referente: a Chult

Cerca de -34.500 CV

Os Sarrukh estabelecem o reino de Isstosseffifil, situado onde hoje fica o deserto de Anauroch.

Acontecimento Referente: a Faerûn

-34.200 CV

O Império Sarrukh cerca de -34200 CV
O Império Sarrukh, cerca de -34.200 CV

A civilização Sarrukh entra em uma nova fase conturbada, já que haviam conquistado tantas raças que eles se tornaram a minoria em seu próprio império.

A escrita é inventada como um auxílio à administração nas comunidades que tinham crescido em complexidade que a memória Sarrukh já não mais podia armazenar toda a informação necessária para um governo eficiente. Os primeiros sinais Sarrukh são pictogramas inscritos em tábuas de barro que, em seguida, eram secas. Os sistemas de escrita Sarrukh são amplamente adotados por seus escravos.

Acontecimento Referente: a Faerûn

Cerca de -34.100 CV

Queda de Okoth

Após de um século de luta civil que levou muitos Sarrukh de Okoth até outros planos, o Império Okoth desmorona.

Os clãs de Sarrukh vagaram pelos planos por milênios, mas nunca encontraram uma plano onde desejassem permanecer por mais de uma geração. Esta existência nômade os endurece, transformando-os inexoravelmente em criaturas malignas.

Conforme os Sarrukh de Okoth abraçavam cada vez mais suas naturezas mais sombrias, alguns dissidentes, separados de seus parentes empurrados para o lado do mal, rompem com o grupo principal. Eles imploram a Jazirian, um fragmento da Serpente do MundoWorld Serpent, por socorro, e ela responde transformando-os em Couatls. Uma guerra amarga se segue, mas os Couatls resistem contra os mais numerosos Sarrukh Okothianos até Merrshaulk, um fragmento mais sombrio da Serpente do MundoWorld Serpent, finalmente matando Jazirian. Nesse ponto, os Couatls foram obrigados a fugir para Abeir-Toril, onde eventualmente se estabeleceram em Maztica. O deus Qotal os abraça como seus asseclas divinos, e eles o reconhecem como Jazirian renascido.

Após a guerra com os Couatls, os Sarrukh começam a explorar os Estéreis da Ruína e DesesperoBarrens of Doom and Despair, onde encontram os Khaastas. Acreditando que essas criaturas sejam répteis inferiores e fracos, os Sarrukh tentam escravizá-los. Muito para a surpresa dos invasores, os Khaastas não só foram extremamente resistentes à servidão, como também tinham poderosos aliados demoníacos dispostos a ajudá-los. Assim, começou uma longa guerra durante séculos entre os Sarrukh e os Khaastas, que os Sarrukh acabaram por perder. Para escapar da ira dos vitoriosos Khaastas, os Sarrukh secretamente retornaram a Faerûn e começaram a se esconder em torno das ruínas de Okoth, nas margens do Azulduth.

Acontecimento Referente: a Faerûn

Cerca de -34.000 CV

O reino extradimensional de Faerie é governado pelos Feéricos (criadores dos Korreds, Sprites e Pixies). Os Feéricos continuam a governar até aos dias de hoje.

Acontecimento Referente: a Faerûn

-34.000 CV

Acredita-se que os primeiros Humanos aparecem nas savanas do norte de Katashaka. Eles logo migram para povoar o resto do mundo.

Nas terras ao sul de Mhairshaulk, tribos humanas dependiam da pesca, caça e do pastoreio para se sustentar. As tribos de Lopango, no entanto, utilizam técnicas de irrigação que lhes permitiu desenvolver a agricultura pastoril.

Infelizmente, a proximidade das tribos humanas primitivas com Mhairshaulk provou-se desastrosa. Grupos invasores Sarrukh rotineiramente patrulhando as terras Thinguth,  retornavam a Mhairshaulk com Humanos para se alimentar ou para escravizá-los. Alguns sofreram experiências por seus captores Sarrukh. Distorcidos e aumentados pela magia Sarrukh, estes infelizes indivíduos, com o tempo, tornam-se conhecidos como vrael olo, os Yuan-ti.

Acontecimento Referente: a Faerûn

Cerca de -33.800 CV

Queda de Isstosseffifil

Em uma tentativa de eliminar os Phaerimm de Phaerlin (conhecida hoje como os Reinos SoterradosBuried Realms do SubterrâneoUnderdark) e despachar seus inimigos em um ataque magistral, os magos de Isstossef alteram o Mar EstreitoNarrow Sea de modo que ele corresse de leste para oeste, inundando a terra em torno da cadeia de colinas conhecidas hoje como Tagorlar.  Embora o Isstossef tenha sido bem-sucedida em conduzir os Phaerimms para as profundezas do SubterrâneoUnderdark, a mudança ecológica maciça resultante de suas manipulações da Arte fazem com que o Império de Isstosseffifil caísse em ruínas.

Embora a maioria dos Sarrukh de Isstosseffifil tenham morrido com a queda da cidade, muitos sobreviveram. Os sobreviventes recorreram ao processo de transformação em lich nas profundezas de Oreme, onde são protegidos pelos Asabis que haviam criado.

Acontecimento Referente: a Faerûn

Cerca de -33.500 CV

Queda de Mhairshaulk

A Mhairshaulk regida pelos Sarrukh, depara-se com a fome e declina gradualmente, afundando-se lentamente em uma letargia. Os Sarrukhs começam um ciclo em que as hibernações milenares alternam-se com breves períodos de atividade, durante a qual a coleta de alimentos e a procriação ocorriam. O Império torna-se o domínio dos Yuan-ti.

Com a queda de Isstosseffifil, isto marca a Queda do Império SarrukhFall of the Sarrukh Empire.

Acontecimento Referente: a Chult


Ascensão do Império Batrachi

Início do Império Batrachi e Resquícios do Império Sarrukh - 33.500 CV
Início do Império Batrachi e Resquícios do Império Sarrukh, – 33.500 CV

Os Batrachi (uma das raças criadoras) também conhecidos como anfíbios ou criadores dos Bullywugs, Doppelgangers, Kopru, Kuo-toa, Locathah, Siv, Tako e outros metamorfos, anfíbios ou raças aquáticas. Os primeiros Batrachi nascidos no mar começam a florescer nas suaves correntes do norte do Mar NegroBlack Sea, conhecido como o Crescente FértilFertile Crescent. O suprimento de mexilhões e outros crustáceos é tão rico que em algumas áreas a população caçadora-coletora pode se estabelecer em aldeias semipermanentes. Durante este tempo, muitos Batrachi começam a sofrer metamorfoses para caminhar sobre a terra.

Acontecimento Referente: a Faerûn

Cerca de -31.500 CV

Sob a sábia liderança de Zhoukoudien, o poder dos Batrachi atinge seu auge. O reinado d’O ElevadoHigh One termina quando ele é morto em uma batalha contra o duque titã Omo.

Acontecimento Referente: a Faerûn

-31.500 CV

A guerra entre os Batrachi e os Gigantes

O Império Batrachi cerca de -31500 CV
O Império Batrachi, cerca de -31.500 CV

Ostoria toma uma ofensiva contra os Batrachi, e apoiados pelos titãs de Lanaxis, eles se apossam das terras férteis entre os Mares InternosInner Seas. Os Batrachi lutam contra os Jotunbrud durante séculos sem que nenhum lado ganhe uma vantagem.

Acontecimento Referente: a Faerûn

Cerca de -31.000 CV

Fim da guerra entre Batrachi e Gigantes

O conflito entre os Batrachi e os Gigantes de Ostoria chega a um fim abrupto quando a lua de gelo Zotha cai do céu devastando grande parte das terras dentro da região central de Merrouroboros. Um enorme fragmento da lua escava um desfiladeiro tão profundo entre os quatro Mares InternosInner Seas que eles se fundem para formar o Mar das Estrelas CadentesSea of Fallen Stars, um evento que os Sarrukhs registram como uma “mudança das estrelas”. Intensos terremotos abalam a região durante várias semanas após o ocorrido. As cristalinas cidades Batrachi, embora reforçadas por magia, são incapazes de suportar os tremores incessantes. Dentro de um ano, o Império Batrachi também cai em ruínas.

O impacto da lua lança uma espessa nuvem de poeira na atmosfera, obscurecendo o sol durante sete anos. Sem o sol, a vida vegetal começa a definhar por toda a terra, logo seguida pelos herbívoros e, finalmente, pelos carnívoros. Somente aqueles povos que possuem grande magia ou proteção divina sobrevivem à extinção maciça.

Acontecimento Referente: a Faerûn


Nas semanas que se seguiram após a Queda da LágrimaTearfall, dezenas de milhares de ovos de dragão começam a eclodir em Merrouroboros. Estes precursores dos dragões não são os dragões poderosos conhecidos hoje porque não possuíam asas, nem magia, nem sopros, e no caso dos aquáticos, não possuíam pernas. Tampouco são uma nova espécie dos grandes TrovejantesThunderers, comuns em Mhairshaulk, pois são de sangue quente e possuem maior inteligência.

Acontecimento Referente: a Faerûn

Cerca de -30.700 CV

Massacre Lammasu

Mil Aearee-Krocaa perdem suas vidas para uma força muito menor de Lammasu. Experiências posteriores com dragões-da-terra domesticados produzem os primeiros dragões alados, que os Aearee nomeiam como Wyverns. Graças aos seus novos exércitos Wyvern, o Império Aearee-Krocaa se expande rapidamente.

Acontecimento Referente: a Faerûn

-30.500 CV

Ascensão dos Impérios Aearee (uma das raças criadoras aviárias)

Império Aeraee cerca de -30500 CV
Império Aeraee, cerca de -30.500 CV

Os Aearee aproveitam a oportunidade e ocupam as terras caídas dos Batrachi.

No ocidente, os Aearee-Krocaa, seguidores do Krocaa Pai-de-TodosAll-Father Krocaa, estabelecem o grande ninho de Viakoo, no Monte HavraquoarMount Havraquoar, que se torna a capital de sua grande nação, que se estende do oeste, onde fica Maztica, a tão ao sul, onde fica o Lago de VaporLake of Steam. O Monte HavraquoarMount Havraquoar ficava bem a oeste de onde termina hoje a Costa da EspadaSword Coast (o Monte HavraquoarMount Havraquoa e muitas das terras do Aearee-Krocaa foram destruídas muitos séculos mais tarde durante A SeparaçãoThe Sundering). O grande ninho Kokra em Viakoo governa suas terras razoavelmente e forja amizades duradouras com os Couatl, Feéricos e outros habitantes de Anchorome.

No norte, os Aearee-Syran estabelecem sua capital no ninho de Phwiukree, nos picos dos Montes EstelaresStar Mounts e se aninham nas florestas ao redor daquelas montanhas. Um povo forte e majestoso, suas feições eram reminiscentes de águias e falcões. Eles dedicavam uma adoração especial à filha de Krocaa, Syranita, que eles escolheram como sua patrona.

No sudeste, o Aearee-Quor esculpem o domínio de Shara a partir de seu poleiro nas Montanhas OrsraunOrsraun Mountains. Estes Aearees traziam consigo as características dos corvos e dos gaios. O patrono dos Aearee-Quor era Quolinn, cuja sagacidade e astúcia preservaram seus rebanhos através dos piores momentos da dominação Batrachi e inspiraram em seus corações um orgulho feroz e uma determinação de auto-suficiência. Espalhando-se a partir dos poleiros de Shara nas Montanhas OrsraunOrsraun Mountains, eles cresceram em uma filiação dispersa de cidades-estado flutuantes que acabaria por estender sua amplitude pelo continente.

Acontecimento Referente: a Faerûn

-30.400 CV

A Praga Devastadora

Em um conflito entre o Gnolls de Urgnarash e o poleiro de Kookrui-Shara, os xamãs de Yeenoghu convocam os Marrashi – espíritos da peste a partir dos Estéreis da Ruína e DesesperoBarrens of Doom and Despair – para flagelar as colheitas dos Aearee e espalhar uma praga devastadora entre as aves.

A Guerra Aearee

Uma Aearee chamada Sieska Waewielonn, do poleiro Okwalok-Shara, ao longo das margens do Grande MarGreat Sea, descobre o nome de Pazreal, um senhor dos demônios. Com a ajuda dos demônios, Sieska torna-se senhora de Okwalok-Shara. Logo, todos os poleiros dos Aearee-Quor abandonam a fé em Quorlin e voltam sua adoração a Pazreal (todos, exceto o poleiro de Tiennkoo-Shara, que foge para os picos mais distantes de Kara-Tur, onde seus descendentes ainda prosperam até hoje como a raça com cabeças de corvo conhecida como Tengu, sendo o único ramo dos Aearee-Quor que nunca perderam suas asas). Pazreal ensina aos Aearee-Quor como convocar Vrocks, mas a um grande custo, pois ele tira deles sua capacidade de voar. Os Aearee de Shara nunca mais cavalgam os ventos, exceto através da magia ou de montarias aladas.

Sieska, então, fomenta a guerra entre as outras nações Aeraree do norte e do oeste. Os Aearee-Krocaa são os primeiros a cair. Os Aearee-Syran, defendidos com a ajuda dos Feéricos aliados, Entes alados e Baleias Voadoras, lutam contra os quase intermináveis Vrocks demônios e Pássaros Roca guerreiros dos Aearee-Quor. No fim, Mornungongbarae (possivelmente o primeiro Ente), que havia protegido a Floresta AltaHigh Forest por quase mil anos, ergue-se e derruba a cidade flutuante dos Quor, mas ao custo de sua própria vida. Seu trágico sacrifício ainda é cantado por Entes bardos até os dias de hoje, em uma saga chamada de O Lamento de MornungongbaraeThe Lament of Mornungongbarae.

Acontecimento Referente: a Faerûn

As Eras do AlvorecerThe Dawn Ages/A Era dos DragõesThe Time of Dragons

-30.000 CV até -24.000 CV

Os impérios das raças criadoras desaparecem-na memória, levando à Era dos DragõesTime of Dragons e à Era dos GigantesTime of Giants. Dragões individuais e clãs de Dragões governam grandes áreas de território e combatem com seus rivais pelo controle das terras, mares e céus. Durante este período de guerra devastadora entre os Dragões de Faerun, bolsões isolados de território anteriormente governados pelos Dragões caem sob o controle dos Gigantes. Com o tempo, tais reinos governados por Gigantes vêm para ameaçar a hegemonia do povo draconiano, levando a grandes batalhas entre reinos dos Gigantes, como Darchar, Grunfesting, Helligheim, Nedeheim, Ostoria e Rangfjell, e reinos governados por Dragões como Argissthilliax, Caesinmalsvir, Darastriverthicha e Tharkrixghontix.

Esta época de conflito mergulha Merrourboros em uma “idade das trevas” de quatro mil anos de duração. Os Feèricos são particularmente ativos em Merrourboros durante este período, usando seu reduzido tamanho e potente magia para atacar os Dragões em todas as oportunidades possíveis.

Acontecimento Referente: a Faerûn

-30.000 CV

Queda dos Impérios Aearee

A Era dos DragõesTime of Dragons é levada adiante conforme os dragões atravessam Faerûn em bandos na primeira Revoada de DragõesFlight of Dragons. Eles atacam os aviários pelo ar, terra e debaixo do chão. Eles se lançam sobre o ninho de Viakoo e queimar a cidade a partir dos céus.

Nas cavernas abaixo das Montanhas OrsraunOrsraun Mountains, o general dragão Nagamat avança sobre os ninhos ancestrais de Shara e reivindica o reino como seu. Usando a magia encontrada, Nagamat funda o primeiro reino draconiano. Os Aeraee de Shara obreviventes escapam para as profundezas do SubterrâneoUnderdark, onde seus descendentes selvagens e distorcidos dos Aearee-Quor tornam-se os corvos atrozes.

Os sobreviventes de Viakoo fogem para o oeste através do oceano até a terra chamada de Anchorome. Cinco de suas cidades, todas forjadas de poderes de spelljamming, fogem para as estrelas. Rulungwar, Donnakee, Phra’iskree, Oolatiel e uma quinta sem nome, perdida durante o êxodo, atravessa o Mar NoturnoSea of Night até o mundo de Coliar. Estes Aeries ainda vagam por lá, entre as múltiplas luas de Coliar. Descendentes dos Aearee-Krocaa são conhecidos hoje como Aarakocra.

Alguns poucos arrependidos Aearee-Quor implora a Quorlinn por sua misericórdia, e ele os leva até Kara-Tur para encontrar refúgio com seus primos perdidos de Tiennkoo-Shara, os Tengu. Descendentes deste povo chamam a si mesmos de Kenku.

Acontecimento Referente: a Faerûn


Os Ba’etith criam as Peles Douradas da Serpente do MundoGolden Skins of the World Serpent, conhecidas hoje como os Pergaminhos NetherNether Scrolls.

Acontecimento Referente: a Faerûn

Seguir para a Parte 2 


Referência

GREENWOOD, E.; BOYD, E. L.; DRADER, D. Serpent Kingdoms. Wizards of the Coast, 2004.
JAMES, B. R.; GREENWOOD, E. The Grand History of the Realms. Wizards of the Coast, 2007.
WINNINGER, R. Giantcraft. TSR, Inc. 1995.

4 comentários Adicione o seu

  1. Antônio disse:

    Qual a diferença desta matéria pra matéria “História Antiga dos Reinos, Parte I ” já publicada ?

    Curtir

    1. Daniel Bartolomei disse:

      Antonio, como esta primeira parte da cronologia de Faerûn se trata da história antiga dos Reinos, os acontecimentos são os mesmos. Os assuntos podem ser repetidos em alguns trechos por conta disso, mas conforme formos avançando na linha do tempo, entraremos em outras épocas e eras.

      Curtir

      1. Antônio disse:

        Aaah sim!! Essa matéria é pra cronologia geral então… Ansioso pra ver !!!
        Obrigado pela resposta.

        Curtir

      2. Daniel Bartolomei disse:

        Exatamente! Nos acompanhe que avançaremos no tempo 😉

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s