História Antiga dos Reinos, Parte II

por Brian R. James, a partir do Grand History of the Realms
traduzido e adaptado por Daniel Bartolomei Vieira
Imagem de Topo, “O Voo dos Dragões”, autor desconhecido

-30.500 CV


Terremotos severos abalaram a região por semanas após o evento. As cidades cristalinas batrachi, embora reforçadas por magia, foram incapazes de suportar os tremores incessantes. No final do ano, o Império BatrachiBatrachi Empire havia caído em ruínas.

O impacto da lua lançou uma espessa nuvem de poeira na atmosfera, obscurecendo o sol durante sete longos anos. Sem o sol rico em nutrientes, a vida vegetal começou a morrer por toda a terra. Sem plantas para comer, muitos herbívoros logo começaram a passar fome, seguidos rapidamente por seus caçadores carnívoros. Somente aqueles povos que possuíam grande magia ou proteção divina sobreviveram à extinção em massa.

Nas semanas seguintes à Queda da LágrimaTearfall, dez mil ovos de dragão começaram eclodir por toda Merrouroboros. Estes Dragões precursores não eram os poderosos Dragões conhecidos hoje em dia porque não possuíam asas, nem magia, nem sopro, e no caso dos Dragões marinhos, nem pernas. Nem eram eles uma nova espécie dos grandes TrovejantesThunderers, comuns em Mhairshaulk, pois eram de sangue quente e possuíam maior inteligência.

Assim que os Dragões se ajustaram a seu novo ambiente, uma raça aviária conhecida como Aearee, notou a oportunidade oferecida pelo colapso do Império BatrachiBatrachi Empire ocupando quase que todo o território previamente ocupado pelos anfíbios. Dois impérios distintos surgiram durante este tempo, os Aearee-kokra governaram Anchorome e os Aearee-kenku governaram Shaar.

Usando a diplomacia em vez da força, os Aearee-kokra construiram um império pacífico que se estendia tão a oeste quanto Maztica e tão ao sul quanto o Lago de VaporLake of Steam. O grande ninho dos kokra em Viakoo governou estas terras de forma justa e forjou amizades duradouras com os Couatl, com os Feéricos e com outros habitantes de Anchorome. Os Aearee-kenku foram mais militaristas em sua expansão, confiscando as terras dos Gigantes e dos Batrachi refugiados. Em um conflito particularmente devastador com asseclas de Yeenoghu, os Aearee-kenku foram submetidos à debilitante Praga DevastadoraWasting Plague. Os afligidos, que tinham perdido suas asas como resultado da doença, foram rotulados de korbie e conduzidos para o SubterrâneoUnderdark.

Na metade posterior do sexto milênio, dois domínios dracônicos isolados e independentes se formaram. Em uma grande ilha a oeste do continente de Merrouroboros, o radiante dragão Xymor estabeleceu a terra-reino dos dragões, chamada de Mymidune. E nas profundezas obscuras do Mar NegroBlack Sea, o grande dragão marinho Leviathan estabeleceu seu domínio sobre as raças aquáticas.

Compêndio do Forte da Vela (Candlekeep Compendium)

Para mais conhecimentos sobre a ascensão dos dragões em Toril, consulte Reign of Dragons (ou Reinos dos Dragões), por Brian R. James no Candlekeep Compedium IV (ou Compêndio do Forte da Vela IV).

 

-29.500 CV


O mundo civilizado foi jogado em caos ao redor de -30.000 CV por ondas de invasões dracônicas, mergulhando Merrourboros em uma “idade das trevas” por quatro mil anos. Os Feéricos foram particularmente ativos em Merrourboros durante este período, usando seu pequeno tamanho e potente magia para lutar contra os Dragões em todas as oportunidades.

No sul, a fragilidade das primeiras civilizações humanas ficou evidente quando as forças do terrível Tarrasque os empurrou para o sul do Mar NegroBlack Sea. As tribos Lopango, Eshowe, Thinguth e Tabaxi foram conquistadas, sua cultura subordinada pelo recém-formado império de Katashaka. Somente os Humanos do norte de Maztica, sob a proteção da serpente emplumada de Qotal, escaparam da escravidão.

No leste, os céus de Merrourboros ficaram cheios de Dragões. Na maior revoada de dragões já conhecida, Dragões de todas as espécies devastaram Anchorome e Shaar, semeando morte e destruição em seu rastro. Os Aeries em Viakoo e Shara foram destruídos na primeira hora; o Império AeareeAearee Empire tornou-se em ruínas dentro de uma semana. Embora hoje eles tenham vergonha de admitir isso, os Dragões metálicos não só ajudaram seus irmãos cromáticos nos ataques iniciais, como também foram implacáveis em governar as terras que conquistaram.

Por quase quinhentos anos, o Domínio de NagamatDominions of Nagamat governou com garras de ferro. Lorde Nagamat governou de seu covil subterrâneo dentro das Montanhas OrsraunOsraun Mountains até sua morte ao redor -29.500 CV. A queda de Nagamat viu o domínio se fragmentar em muitos impérios menores, embora igualmente opressivos.

-27.500 CV


Durante os próximos quatro mil anos, uma sucessão de impérios dracônicos dominou a região central de Merrourboros. Notáveis entre estes impérios foi o Domínio de AtranjikheraDemesne of Atranjikhera, governado pela dragão do deserto Argissthilliax. A regência da imperatriz dos ermos foi dura, e em -27.000 CV, seus súditos dracônicos se rebelaram e tomaram a maior parte do império para si.

Em Katashaka, o aperto do Tarrasque sobre a humanidade afrouxou, permitindo que os povos das estepes fossem pioneiros no uso dos cavalos. Este desenvolvimento realçou seu estilo de vida nômade, dando às tribos humanas velocidade e mobilidade suficientes para gerenciar grandes rebanhos sobre vastas distâncias.

Enquanto os impérios dos Dragões encerraram e diminuíram, as tribos de Gigantes se uniram mais uma vez e se espalharam para cobrir a maior parte do nordeste de Merrourboros. O Reino ColossalColossal Kingdom como ele veio a ser conhecido, foi dividido em várias regiões, um para cada tribo jotunbrud, Vilmos, Nícias, Ruk, Ottar, Masud, Obadai, Dunmore e Lanaxis. Voninheim foi construída como a capital Ostoriana.

Continuando seu trabalho para minar a regência dos Dragões, os Feéricos abriram novas portas para Toril ao redor de -27.000 CV, permitindo que os primeiros Elfos imigrassem para Merrourboros. Estes primitivos elfos da floresta adoravam os deuses de Faerie, não os Seldarine, que eram desconhecidos nesta época. Enquanto a maioria dos elfos verdes estava satisfeita em permanecer em pequenas tribos dispersas, um grupo conhecido como o Ilythiiri negociou com os Dragões da areia para começar a construir um pequeno reino no sul. A grande capital Ilythiiri em Atorrnash foi um farol brilhante da cultura élfica por milênios.

Conhecimento dos Reinos

Para mais detalhes sobre Ostoria e a história do povo gigante em Toril, consulte Giantcraft, de 1995, por Ray Winniger.

-25.500 CV


No alvorecer do décimo primeiro milênio, um avatar da divindade dracônica Garyx levou os Dragões para a batalha contra os Gigantes de Ostoria. O conflito conhecido como a Guerra dos Mil AnosThousand Year War explodiu por toda Merrourboros. No final, ambos os lados sofreram perdas incalculáveis e estavam ansiosos para chegar a uma trégua. Ostoria havia sobrevivido, embora meramente como uma sombra de seu passado. O Reinado dos GigantesReign of Giants havia chegado ao fim e o Reino ColossalColossal Kingdom agora ocupava apenas a porção mais ao norte de Faerûn.

Rapidamente após a trégua com os Gigantes, um grupo de dragões de prata lançou um ataque furtivo contra os dragões de ouro reivindicando o auxílio divino exclusivo da divindade Asgorath. Os dragões de ouro retaliaram os dragões de prata, os dragões verdes atacaram os dragões vermelhos e, logo, todos os Dragões foram arrastados para o conflito. Suas fileiras já esgotadas da guerra com os Gigantes, este conflito de quinhentos anos que veio a ser conhecido como as Guerras Santas dos DragõesDraco Holy Wars foi o suficiente para esgotar significativamente a população de Dragões em Toril e ameaçá-los realmente de extinção.

Em -25.400 CV um pequeno grupo de elfos dourados que fugiram da destruição de sua pátria chegam a Toril através de um portal. Estes Elfos rebatizam a terra de Faerûn e o nome Merrourboros ficou perdido na antiguidade. Dentro de uma geração uma nova variedade de Elfos nasceu em Faerûn, conhecidos como elfos da lua. No final do primeiro milênio desde sua chegada a Faerûn, os elfos dourados e da lua haviam construído grandes cidades que rivalizavam com a antiga Atorrnash.

Elfos da lua montadores de dragões de Sharlarion e elfos negros mirmidões de Illythiir abertamente desafiaram os Dragões, mas seus ataques realmente não chegaram a ameaçar a regência deles. Não foi até -25.000 CV quando a magia élfica alterou o cometa Matador de ReisKing-Killer, fazendo com que os Dragões se enfurecessem irresponsavelmente por toda Faerûn, o que fez com que os poderosos impérios dos dragões começassem a desmoronar.

Em -24.400 CV, séculos de interrupções comerciais e ocasionais escaramuças entre os elfos do norte e do sul irrompem em guerra aberta. Ka’Narlist de Ghaunadaur lidera os elfos negros de Atorrnash contra os elfos da luz de Sharlarion. Os elfos negros são repelidos e o conflito continua durante mais uma geração.

Conhecimento dos Reinos

Para mais detalhes sobre a história dos dragões em Toril, consulte o Draconomicon, de 1990, por Nigel Findley e Dragons of Faerûn, de 2006 por Eric L. Boyd, Eytan Bernstein e Evan Jamieson.

-24.000 CV
A SeparaçãoThe Sundering


Os Alto MagosHigh Magi dos elfos dourados, prateados e verdes se reúnem na torre do Ponto de EncontroGathering Place para criar a nova pátria élfica de Encontro EternoEvermeet. Merrouroboros é dividido pela força desenfreada da alta magia, conduzindo as terras destruídas para o oeste, através do Grande OceanoGreat Ocean e matando centenas de milhares de almas inocentes. A primeira dinastia de Illythiir cai, assim como Atorrnash, e as terras circunvizinhas são destruídas.

Ainda cambaleando pelas perdas sofridas durante as Guerras Santas dos DragõesDraco Holy Wars e o caos maciço d’A SeparaçãoThe Sundering, muitos Dragões optaram pela reclusão de seu povo. Neste isolamento, os Elfos de Aryvandaar, Shantel, Othreier e Syorpiir são capazes de esculpir reinos a partir dos territórios abandonados pelos Dragões. Na época, a segunda dinastia de Illythiir surge nas ruínas do antigo reino.

Na esteira d’A SeparaçãoThe Sundering, muitos Humanos de descendência Azuposi encontraram-se no continente principal de Faerûn ou espalhados nas recém criadas ilhas do Mar Sem RastrosTrackless Sea. Ao redor de -3000 CV estes Humanos tornar-se-iam conhecidos como o povo Illuskano e fundariam o reino de Illusk ao longo das costas setentrionais da Costa da EspadaSword Coast. Outras tribos humanas também se encontraram abandonadas no continente de Faerûn, separados de sua pátria em Katashaka. Concentrados principalmente no sul ao longo das margens do Grande MarGreat Sea, estas tribos eram conhecidas como os Tashalanos, os Lapalanos, os Shaaranos e os Durpari.

O dragão celestial Tien Lung lidera uma tribo de humanos para o norte e para o leste, para se estabelecerem entre as terras de onde hoje ficam Semphar, a Floresta SkalhoondSkalhoond Forest e os Picos ResplandecentesFirepeaks. Estes Humanos tornaram-se conhecidos como os Lung, os antepassados dos Tuigan, Shou, Wang e outras etnias humanas de Kara-Tur e do Extremo OrienteFar East.

As Raças Criadoras

As cinco raças criadoras (ou Iqua-Tel’Quessir, na língua do Povo BeloFair Folk) dominaram Faerûn durante os Dias de TrovãoDays of Thunder. Todos são considerados nativos de Abeir-Toril, assim como seus descendentes e criações. A maioria dos historiadores concorda que as raças criadoras foram os Sarrukh (conhecidos como sauroides, ou criadores dos homens serpentesserpentfolk e dos escamososscalykind), os Batrachi (conhecidos como anfíbios, ou criadores dos bullywugs, doppelgangers, kopru, kuo-toa, locothah, sivs, tako e outros metamorfos, anfíbios ou raças aquáticas), os Aearee (conhecidos como aviários, ou criadores dos aaracokra, kenku, outros humanoides semelhantes a pássaros e aves), os FeéricosFey (conhecidos como silvestres , ou criadores de korreds, sprites e pixies) e os Humanos. Outros sábios, incorretamente, deixam de fora os Aearee, mas incluem os Dragões na lista. Elfos, Anões e alguns grupos étnicos humanos foram imigrantes de Abeir-Toril, vindos de outros mundos.

Embora cinco raças criadoras existissem em Faerûn, somente quatro forjaram impérios nos primeiros dias da história gravada (período conhecido hoje como os Dias de TrovãoDays of Thunder), e somente três contribuíram para a criação dos itens hoje conhecidos como os Pergaminhos NetherNether Scrolls).

Os Sarrukh, os Batrachi e os Aearee, cada um, dominaram Faerûn por sua vez, criando ou produzindo como prole uma cria de raças menores e registrando a magia como povos mais primitivos. Os FeéricosFey nunca dominaram o continente; eles escolheram, em vez disso, governar Faerie, um reino extraplanar vagamente conectado a Faerûn. Humanos, os últimos dos Iqua-Tel’Quessir, não ascenderam à regência de Faerûn até depois da Era dos DragõesTime of Dragons e dos impérios dos elfos e dos anões.

Exceto para os Humanos, o destino das raças criadoras não foi, em grande parte, gravado. Alguns Sarrukh espreitam em antigas ruínas e selvas do sul, mas a maioria de seus parentes partiram para outros planos milênios atrás. Os Batrachi podem estar extintos, embora alguns estudiosos acreditem que eles fugiram para o Limbo, onde se tornaram conhecidos como Slaadi. Os Aearee voaram para o oeste, para o grande continente ao norte de Maztica, e nada é conhecido de seu destino. Os FeéricosFey ainda governam Faerie, embora os laços entre o seu reino e Faerûn estejam diminuindo cada vez mais. Os humanos continuam a prosperar, assim como os cruzamentos com ascendência parcial, como os Yuan-ti.

1 comentário Adicione o seu

  1. Antônio disse:

    Essas eras antigas são muito interessantes. Bem diferentes do que vemos hoje no cenário atual de FR.
    O anexo “As Raças Criadoras” pra mim foi muito importante.
    Comentei na Parte I que havia me ajudado, mas essa me ajudou bem mais.
    Pretendo colocar algo do tipo numa campanha. Ótimo material.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s